Lara, a primeira parte

lara
Lara, a primeira parte
16 votos
Share Button

Lara, a primeira parte

Ela estava sobre a mesa de centro da sala. Debruçada sobre suas coisas. Seus seios, sua blusa lilás, seus cotovelos lisos e claros e com uma parte do rosto ainda suja de pó.

Sua saia levemente levantada mostrava sua coxas, parte de sua roupa de baixo e a curva que suas nádegas faziam quando se tornavam suas pernas longas e lisas. Seu nome era Lara. Quantas Laras existem? Várias, mas nenhuma como essa.

Ela levantou olhando diretamente para meu rosto, sedenta, pedindo por tudo que eu também pedia. Exalávamos sexo. Mas ao mesmo tempo sua delicadeza me deixava a certeza de que ela não queria exatamente a mesma coisa que eu. Ela queria ser muito bem cuidada, de certa forma.

Minha vontade era puxar sua calcinha, beijar seu pescoço e sussurrar palavras em seus ouvidos. E penetrá-la sem pensar em mais nada. Sentir como seria entrar nela e senti-la umidecendo a partir daí. Senti-la indo de pouco excitada até o máximo, o auge do gozo.  Mas sabia que isso não seria assim tão fácil.

Ao tirar sua blusa reparei como seus mamilos estavam rijos de tesão. Sua respiração era trêmula rouca e cheirava a prazer. Ela debruçou-se sobre mim mordendo minha orelha. Deslizei meus dedos pelas suas costas quase sem tocá-la. Desci até sua cintura. Voltei até seus cabelos negros pegando pela raiz deles em sua nuca. Eu sentia o cheiro de sua respiração a exitação não existia em sua vontade.

Ao mesmo tempo que deixava de segurar seus cabelos pelas raízes com força e descia a mão até o meio de suas lisas e pálidas costas apertava sua cintura com jeito, não com muita força, mas com força o bastante para que ela sentisse minha vontade. Levantei-a e a coloquei no sofá, sentada bem na beira, deixando para fora do acento tudo que eu precisava.

Desci pelos seus seios beijando suavemente sua pele. Deslizei minha língua por cada milímetro de seus mamilos e apertei-os com meus lábios, numa leve pressão. E a ouvi respirar mais pesadamente. Voltei a descer por seu corpo e senti sua mão pressionar minha cabeça, me segurando para que me demorasse um pouco mais ali onde estava. Foi o que fiz. Voltei a apertar seus mamilos, a sentir sua pele na minha boca.

Continuei seguindo por sua barriga, sua cintura, até chegar em suas coxas. Beijei-as lentamente. Ela tremia a cada respiração. Passei a beijar as partes mais internas. Passando a língua lentamente, por cada espaço de suas pernas, mas sem chegar onde ela mais queria.

Depois de algumas voltas em suas coxas e chegando muito perto de sua linda bucetinha depilada ela já não aguentava mais de vontade, pediu para que eu a chupasse, que a deixasse sentir minha boca, abri um pouco mais suas pernas e comecei a lamber lentamente, de baixo para cima, abrindo seus lábios com uma das mãos e procurando por seu grelinho escondido, pressionei-o como havia feito com seus mamilos e ela gemeu bem gostoso, sua respiração bem mais alta e enquanto isso ela segurava em meus cabelos apertando para que eu não parasse.

Continuei beijando e chupando bem devagar. Com o tempo, fui lambendo um pouco mais rápido e com mais de força, sentindo cada movimento e prestando atenção no que ela mais gostava. Ela foi ficando em silencio e fechou seus olhos. Sua respiração continuava rápida e forte. Continuava a pressionar minha cabeça com uma das mãos.

Pouco depois ela me pediu pra parar e me puxou pra cima do sofá. Levantou-se enquanto eu estava sentado e tirou minhas calças e cueca e viu o quanto eu estava excitado. Achei que fosse me chupar, me fazer sentir sua boca por completo. Contudo, ela virou-se de costas e, segurando com uma das mão, me colocou dentro dela. Olhando pra trás e sem dizer uma palavra, foi sentando bem devagar. Era muito apertada, muito gostosa. Eu sentia tudo. Ela descia e subia bem lentamente. Eu segurava sua cintura e olhava seus cabelos pretos descendo no meio de suas costas. Sua cintura era fina, perfeita.

Ela cavalgava cada vez mais rápido e com mais força. Eu via a uma parte de seus seios balançando conforme o movimento. Seios firmes, lindos. Eu queria olhá-los, queria pegá-los. Mas deixei que ela fizesse à sua vontade e pareceu não se importar com isso. Ou não se importar comigo. Estava me usando para se satisfazer. E eu gostei disso.

Alguns minutos depois eu estava com tanto tesão que achei que não aguentaria mais. Pensei que explodiria dentro dela e acho que ela também sentiu isso, pois se levantou e voltou a se debruçar na mesa, onde até um tempo atrás esteve se satisfazendo de outra maneira. Então ela me pediu para fazer ali, com ela de quatro. Não pensei, só fiz como ela pedia. Tentei pensar em algo que me distraísse do tesão que me deixasse continuar um pouco mais.

Ela segurou suas nádegas a fim de me mostrar tudo; qual era o caminho. Coloquei devagar. Não em seu cuzinho apertado, mas continuei onde estava antes. Enfiei tudo e depois tirei tudo. Coloquei só uma parte e voltei a tirá-lo. Ela gemia cada vez que eu fazia isso. Em seguida, coloquei tudo novamente. Empurrei com força e ela gemeu mais alto. Comecei a ir mais fundo e mais rápido. Ela começou a gemer e a respirar mais forte. Ela não falava, mas eu sentia que ela queria mais.

Ela olhava pra trás. Estava vermelha e quente. Eu via seus seios apertados sobre a mesa e sob seu peso. Mesmo assim os achava lindos e perfeitos. Ela continuava segurando sua nádegas e comecei a passar o dedo onde ela aparentemente queria. Continuei a fazer o que estava fazendo mas agora passava no cuzinho dela. Apertava ele, mas não enfiava. Ela não queria que eu enfiasse, ela só queria sentir que estava perto disso.

Ela voltou a se levantar. Me empurrou novamente para o sofá e subiu em mim. Colocou-me dentro dela de uma vez e começou a sentar e levantar com muita força, com muita vontade. Ela queria aquilo agora. Estava pronta para tudo que viria. Via seus seios, levantei um pouco a cabeça e comecei a beija-los ao apertá-los com a boca. Ela gemia e pedia mais. Eu já não me aguentava e estava quase me entregando. Ela sentiu isso e parou, voltou a ficar de quatro e me pediu para chupá-la daquele jeito. Comecei a chupar e a beijar. Ela se masturbava por baixo de seu corpo enquanto eu a chupava por trás. E  assim ela não aguentou e gozou. Gemeu bem gostoso. Pediu-me pra parar e eu o fiz. Só então ela se virou e começou a me chupar. Lambendo-me por baixo, e foi subindo até me colocar em sua boca. Segurou com uma mão enquanto me chupava. Não aguentei muito, já estava no meu limite. Quando veio, ela jogou tudo em seus seios lindos. Olhando pra mim com ar de satisfeita e completamente suja com tudo que eu tinha.

Pouco tempo depois ela estava vestida e saindo pela porta da frente. Olhei no relógio e sabia que estava perto da hora de minha namorada chegar.

Summary
Article Name
Conto Erótico - Lara, a primeira parte - Jardim do Prazer
Author
Description
Um breve relacionamento entre um rapaz e Lara, uma linda moça, na sala de estar. Confira este excitante conto erótico.
Share Button
- w5 - top8